Minha foto
Aracaju, Sergipe, Brazil
Sou uma terapeuta ericksoniana; trabalho com Psicoterapia Breve, utilizando, sob medida para cada pessoa, técnicas de Hipnose e Arteterapia. Sou também doula: acompanho gestantes durante o pré-natal, parto e pós-parto. Qualquer dúvida e interesse, entre em contato! Terei o maior prazer em poder ajudar. :)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Esperando tranquilamente


Nós costumamos ter medo do desconhecido e ficar nervosos quando fazemos algo pela primeira vez.  Mas quando nos informamos previamente a respeito do assunto e temos noção do que nos espera podemos ficar mais tranquilos. Alguns chegam ao meu consultório e, sem saber muito bem o que dizer, avisam que nunca fizeram terapia. Por isso resolvi escrever sobre “o que esperar” de uma consulta antes de você chegar lá. 

Acontece de muitas pessoas precisarem da ajuda de um(a) psicólogo(a) e demorarem a procurá-lo(a), seja por ignorância (de que este profissional pode ajudar no seu caso); por preconceito (de que ir ao psicólogo é “coisa de doido”); por dificuldades financeiras ou outro motivo qualquer. Portanto, quando chega ao consultório, a pessoa já sabe porque está lá; ou ao menos percebe que está precisando de ajuda profissional, mesmo que não entenda completamente o porquê. Sendo assim, o cliente sabe o que quer (mesmo que seu problema seja “não saber o que quer”), e esse será o ponto de partida da conversa no primeiro encontro. 

Pode acontecer de alguém iniciar o processo terapêutico pela vontade de terceiros, o que é comum no caso de adolescentes, mas a disposição da própria pessoa em colaborar é  o requisito indispensável para se manter uma psicoterapia. E cada um deve ter seu(s) objetivo(s) em mente – independente do que querem os outros. 

Nos primeiros momentos do processo ambas as partes estão se conhecendo; é comum a conversa passear por diversos assuntos e áreas, pois sabemos que somos seres bio-psico-sócio-espirituais, então tudo o que nos afeta é influenciado e influencia nossa vida como um todo. O meu trabalho é com psicoterapia breve, o que significa trabalhar com foco, mas isso não significa falar apenas no “assunto do problema”. 

Dentro da Psicologia existem várias linhas de trabalho, e aquele que estiver interessado pode buscar informações sobre as diversas opções disponíveis; pois cada pessoa, com suas particularidades, pode se agradar mais com umas do que com outras. Na primeira sessão explico aos meus clientes a forma de trabalho da minha abordagem – ericksoniana – e tiro as dúvidas que vão surgindo, inclusive sobre a nossa ferramenta mais fantástica (porém pouco e mal divulgada): a hipnose.

A pessoa tem o direito de não querer utilizar alguma técnica; tem o direito de falar ou calar sobre o que quiser; com a garantia do sigilo sobre o que é dito ali (inclusive os adolescentes levados pelos pais). 

O que norteará o bom funcionamento da psicoterapia é esclarecido na primeira sessão, firmando-se o “contrato terapêutico”. Portanto, como vocês podem facilmente perceber, não há bicho-de-sete-cabeças nenhum no consultório psicológico, mas sim duas cabeças que, juntas (uma com a outra e com todo o resto do que nós somos), funcionam melhor que uma só!

Camila Sousa de Almeida

2 comentários:

  1. Tenho uma pergunta:
    duas cabeças é o mesmo que um concerto para quatro cerebros?

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails