Minha foto
Aracaju, Sergipe, Brazil
Sou uma terapeuta ericksoniana; trabalho com Psicoterapia Breve, utilizando, sob medida para cada pessoa, técnicas de Hipnose e Arteterapia. Sou também doula: acompanho gestantes durante o pré-natal, parto e pós-parto. Qualquer dúvida e interesse, entre em contato! Terei o maior prazer em poder ajudar. :)

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Coisa de doido


-->
Ainda hoje é comum pensarem que psicólogo é “coisa de doido”, ainda mais psiquiatra. Muitas vezes também um é confundido com o outro ou até mesmo igualados em suas funções. Na verdade, são profissões que se complementam, mas bastante diferenciadas em suas formações: o psicólogo é graduado em Psicologia e quando se dedica à área Clínica chama-se psicoterapeuta; o psiquiatra estuda Medicina e se especializa no ramo da Psiquiatria, que trata de transtornos considerados mentais.

Na prática, ambos tratam os mesmos tipos de dificuldades – psicológicas, mentais, emocionais, comportamentais – só que, enquanto o tratamento psiquiátrico é feito basicamente através de medicação, o psicoterapêutico se dá através de técnicas expressivas (verbais e não-verbais). Apesar desta afirmação, é importante deixar claro que nem todas as dificuldades que o psicólogo trata, o psiquiatra pode ou precisa tratar também. Os remédios psiquiátricos, que agem nas funções cerebrais, são aliados em diversas situações, mas são dispensáveis em muitos casos. Um bom médico psiquiatra observa bem a necessidade de empregar ou não este tipo de terapia; aqueles que reconhecem um paciente que não precisa de remédios e diz isso a ele, considero um competente profissional. Assim como o psicólogo que sabe reconhecer a necessidade de encaminhar para acompanhamento psiquiátrico, o que feito adequadamente só contribuirá para que o indivíduo desenvolva maior qualidade de vida de uma forma mais ampla.

Muitos transtornos necessitam de uma associação de psicoterapia e remédios. E não, não só toma remédio psiquiátrico quem é “doido”. Aliás, o que é doido para você? Para mim é este mundo, ou quem quer que o considere normal. Nesse contexto, o desconforto muitas vezes é sinal de pura sanidade. E isso fica bastante claro em casos de crianças e adolescentes que chegam à terapia. Geralmente, estes pequenos que “causam” problemas são aqueles que demonstram escancaradamente que algo está acontecendo dentro de seu sistema familiar ou na escola, por exemplo. Não raro, os pais é que precisam trabalhar-se, mais do que estes filhos.

Não quero com isso dizer que é bom sofrer, mas que cumprida a missão do sintoma, ele não precisa mais existir. A dor ao caminhar pode acabar quando tiramos o sapato, descobrimos a pedra e a retiramos.

E você que não é doido de acostumar-se com o desconfortável, o psicólogo pode te ajudar, se você for capaz de cometer a loucura de assumir que não consegue fazer tudo sozinho. Muitas pessoas sofrem achando que são assim mesmo, que é o seu jeito de ser, ou o jeito de ser do seu filho, que sempre foi assim... Até que um dia você descobre que como você ou como seu filho existem outros, que superaram tudo isso e muito mais, simplesmente pedindo ajuda...

Camila Sousa de Almeida

3 comentários:

  1. Sabe o q eu acho essencial? q um conviva com o outro...q o psicologo conheça a realidade do psiquiatra e vice-versa...

    Aliar ao contrario de Adiar!

    ...e para quem tem medo de psicologo/psiquiatra: vc cuida da saude do seu coração, cuida da saúde do seu pulmão; pq não cuidar da saúde da sua mente? justo ela q ta no topo do seu corpo?

    ;)

    very good camila!

    ResponderExcluir
  2. Dizem que sou louco por pensar assim
    Se eu sou muito louco por eu ser feliz
    Mas louco é quem me diz
    E não é feliz, não é feliz

    Se eles são bonitos, sou Alain Delon
    Se eles são famosos, sou Napoleão

    Mas louco é quem me diz
    E não é feliz, não é feliz
    Eu juro que é melhor
    Não ser o normal
    Se eu posso pensar que Deus sou eu

    Se eles têm três carros, eu posso voar
    Se eles rezam muito, eu já estou no céu

    Mas louco é quem me diz
    E não é feliz, não é feliz
    Eu juro que é melhor
    Não ser o normal
    Se eu posso pensar que Deus sou eu

    Sim sou muito louco, não vou me curar
    Já não sou o único que encontrou a paz

    Mas louco é quem me diz
    E não é feliz, eu sou feliz

    (Os Mutantes - Balada do Louco)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails